Abusador de Alvito condenado a 7 anos de prisão

O homem de 69 anos que estava acusado de abuso sexual de crianças, na zona de Vidigueira, distrito de Beja, foi condenado pelo Tribunal de Beja a sete anos e seis meses de prisão efectiva e a uma pena acessória de proibição de actividades que envolvam o contacto com menores, durante um período de 10 anos.

Joaquim Patrício foi ainda condenado ao pagamento de uma indeminização às vítimas no total de 22.500 euros.

Ficou provado em tribunal que o sexagenário, durante as aulas de natação de que era professor, “acariciava” as menores, colocava-as ao colo para lhe “acariciarem o pénis”, chegando a “introduzir o dedo na vagina” das meninas, provocando-lhes dores.

No final da leitura da audiência, confrontado com a possibilidade de recorrer da sentença, o advogado de defesa limitou-se a responder “não sei o que vou fazer e não quero prestar declarações”.

Joaquim Macau da Gloria Patrício tem agora 30 dias para recorrer da decisão do Tribunal.

Os crimes cometidos reportam-se aos anos de 2005 a 2017 e envolveram 5 crianças. O abusador estava ligado a um clube de Alvito e dava aulas de natação nas piscinas de Vidigueira.

O criminoso foi detido pela Policia Judiciária numa quarta-feira, à tarde, do dia 2 de Fevereiro de 2017.