Agente da PSP julgado no Tribunal de Beja

Começou esta quarta-feira, de manhã, no Tribunal de Beja, o julgamento do agente aposentado da PSP de Moura, acusado de quatro crimes de peculato, um de falsificação de documentos e outro de detenção de armas proibidas.
O caso foi detectado em 2013, altura em que António Monteiro, de 61 anos, se reformou. O agente terá tentado adquirir munições, através da PSP, para uma carabina que tinha em sua posse. A investigação teve início quando a situação foi denunciada por colegas da polícia.
O arguido ter-se-á apoderado de várias espingardas e pistolas, que eram entregues para abate na esquadra, mas que depois ficava com elas, não lhe dando o seguimento legal. Sem os proprietários das armas se aperceberem, era-lhes dado a assinar uma declaração de compra e venda, o que autorizava o agente a ficar proprietário das mesmas.
Este caso poderá atingir superiores hierárquicos dentro da PSP. O arguido afirmou em tribunal que outros agentes da esquadra de Moura “faziam a mesma coisa”.
António Monteiro, natural da Amareleja mas a residir em Moura, arrisca uma pena superior a 5 anos de prisão.