Alentejo tem níveis de acesso à Internet mais baixos do país

O acesso à internet em casa continua a aumentar, abrangendo 79% dos agregados em 2018, mais 2 pontos percentuais que no ano anterior e mais 26 pontos percentuais que em 2010. Os dados são do Inquérito à utilização de tecnologias da informação e da comunicação pelas famílias, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Quase todos os agregados com acesso à internet em casa fazem-no através de banda larga.

No Alentejo a realidade é um pouco diferente. O Instituto sublinha que “a região do Alentejo continua a apresentar os níveis de acesso à internet e banda larga mais baixos do país”. No Alentejo 71% dos agregados familiares têm acesso à internet e 67% à banda larga.

O INE realça que “a proporção de utilizadores de internet diminui de forma acentuada com o aumento da idade. Se antes dos 55 anos as proporções de utilizadores são sempre superiores a 80%, o valor deste indicador reduz-se para 55% no grupo etário dos 55 aos 64 anos e para 34% no caso da população com 65 ou mais anos de idade”.

A mesma fonte indica que “as taxas de utilização da internet são significativamente mais elevadas para as pessoas que completaram o ensino superior (98%) e para aquelas que concluíram o secundário (97%)”.