Aljustrel doa viseiras a entidades públicas e instituições de solidariedade social do Baixo Alentejo

A Câmara Municipal de Aljustrel continua a doar viseiras de rosto a entidades públicas e instituições de solidariedade social tendo já sido entregues pelo município, 300 unidades na região do Baixo Alentejo.

A acção desenvolve-se “através de uma parceria de produção estabelecida entre a autarquia e a Associação Buinho e aquisição à empresa Rectângulo Vermelho” refere o município de Aljustrel.

No total, foram doadas 650 viseiras de rosto. Esta doação estende-se agora às Farmácias do Concelho de Aljustrel, ao Centro de Saúde de Cuba, à Santa Casa da Misericórdia de Cuba, ao Centro de Saúde de Castro Verde, à Fundação Domingos Simão Pulido, de Vidigueira, ao Centro Social Nossa Senhora da Graça de Baleizão, aos Bombeiros Voluntários de Grândola, à Fundação Joaquim António Franco e Seus Pais, de Casével, e à ResiAlentejo.

Na passa sexta-feira já tinham sido entregues 350 unidades a várias instituições de solidariedade social do Concelho de Aljustrel, aos Bombeiros Voluntários de Aljustrel, à Guarda Nacional Republicana de Aljustrel (GNR), ao Centro de Saúde de Aljustrel e à Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

O Concelho de Aljustrel continua empenhado em dar uma resposta positiva ao combate à pandemia global provocada pelo novo coronavírus, prova disso é a distribuição de viseiras de rosto a nível regional.

O município refere que “apenas esta a ofertar, dentro das suas possibilidades, algumas IPSS e entidades públicas”.

De acordo com a mesma fonte, “particulares e empresas privadas que estejam interessados em adquirir este equipamento de proteção podem encontrá-lo, a um preço mais baixo do que está a ser praticado no mercado, na Rectângulo Vermelho, que se encontra instalada no Parque Industrial de Aljustrel […].”

“A autarquia […] apela a todos os fornecedores que possam ter em sua posse acrílico opaco (não transparente/cristal), de preferência de 3 mm, mas também pode ser de 2mm ou de 4 mm, que queiram associar-se a esta parceria, uma vez que o stock deste material está a desaparecer rapidamente no mercado, e, neste momento, é importante para continuar esta produção”, adianta o município.

“O objetivo é alargar esta plataforma colaborativa a outras entidades e continuar a dar resposta às necessidades sentidas por diversas entidades para fazer face à pandemia provocada pelo COVID-19.”