AM de Serpa quer Hospital de São Paulo na gestão do Estado

A Assembleia Municipal (AM) de Serpa aprovou uma moção onde defende que “o Hospital de São Paulo deve, de imediato, retornar ao âmbito directo do Serviço Nacional de Saúde, espaço donde nunca deveria ter saído”.

No documento enviado à Rádio Pax, pode ler-se que só assim é “cumprindo o imperativo constitucional, de um serviço nacional de saúde, universal e geral, garantindo a todos os cidadãos, o acesso a cuidados de saúde, bem como uma eficiente e racional cobertura de todo o país em recursos humanos e unidades de saúde”.

Considera a Assembleia Municipal que “com o desenlace anunciado pela Santa Casa da Misericórdia, da denúncia do acordo relativo ao Hospital, por alegado incumprimento do mesmo, por parte do Ministério da Saúde, prefigura-se um vazio perigoso, quanto à prestação dos cuidados de saúde no concelho de Serpa e, de uma forma geral, em toda a Margem Esquerda do Guadiana”.

A instabilidade que se vive deverá ser imputada, no entender da Assembleia Municipal, “ao Ministério da Saúde e à Santa Casa da Misericórdia de Serpa, que, em 2014, assinaram um Acordo de Cooperação para transferência do Hospital, sem acautelar, minimamente, o serviço público e as necessidades dos utentes e à revelia de todos os pareceres e tomadas de posição contrárias que foram, quer antes quer a partir de então, inequivocamente manifestadas, nomeadamente por parte da Câmara e da Assembleia Municipal de Serpa e também pela Comissão de Utentes”.

A moção, apresentada pelos eleitos da CDU, foi aprovada com os votos a favor da CDU e PS e o voto contra da coligação PSD-CDS/PP.