APG/GNR exige “rápida solução” para Posto de Vila Alva

A Delegação Sul da Associação dos Profissionais da Guarda – APG/GNR volta a pronunciar-se sobre a integração do Posto da GNR de Vila Alva no Posto Territorial de Cuba.

No início de Abril deste ano o Posto de Vila Alva foi encerrado, alegadamente pelo aumento do valor do arrendamento cobrado à GNR pelas instalações.A APG/GNR denunciou as consequências que esta medida traria para os profissionais da GNR que trabalhavam em Vila Alva, uma vez que têm de deslocar-se às suas expensas para Cuba e alertou para o “sentimento de insegurança da população”.

A situação foi assumida como “temporária” perante uma solução que passaria pela deslocação do Posto Territorial para as instalações da Santa Casa da Misericórdia.

Até ao momento tudo continua na mesma e a APG vem a público exigir que “se encontre uma rápida solução, que se prestem esclarecimentos aos profissionais e à população pois caso contrário poder-se-á começar a entender que se trata de um encerramento definitivo do Posto de Vila Alva, mas que nenhuma entidade teve coragem de o assumir”.

António Barreira, coordenador da delegação sul da APG/GNR, realça que o Ministério da Administração Interna não pode “demitir-se” da sua responsabilidade.