Aterragem do A380 “demonstra potencialidades” do aeroporto diz Paulo Arsénio

O executivo da Câmara de Beja visitou, ontem, a convite da Hifly, o Airbus A380 que está estacionado no Aeroporto de Beja.

A autarquia considera que a aterragem da aeronave na infra-estrutura da cidade “é demonstrativa das potencialidades” do Aeroporto.

Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja refere que “esta aterragem foi um momento importante do ponto de vista simbólico e histórico para o aeroporto de Beja” e “também para a região”.

Em seu entender este foi um momento “impar”. O presidente da autarquia salienta o problema da falta de acessibilidades. Segundo Paulo Arsénio, “com melhores acessibilidades o aeroporto de Beja teria mais possibilidades para se desenvolver”.

O autarca refere ainda que esta é uma forma de “demonstrar que no interior existem estruturas capazes de colaborar economicamente de forma firme e decidida para o todo nacional”.

O Airbus A380 avião tem dois andares e capacidade para 471 passageiros distribuídos por três classes. O piso inferior é dedicado à classe económica, transportando um total de 399 passageiros. O piso superior tem 60 lugares de classe executiva e a primeira classe tem capacidade para 12 passageiros.