Beja adapta-se à “nova realidade”

A Biblioteca Municipal de Beja, o Jardim Público e o Cemitério da cidade reabrem esta segunda-feira.

Inicialmente, Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja anunciou a abertura dos espaços só para dia 1 de Junho, no entanto, esta nova decisão coincide com o último dia do Estado de Calamidade.

 No que diz respeito à biblioteca, o espaço abre com um novo horário e serão adotadas todas as medidas de precaução.

Os serviços de devolução e empréstimos de livros e outros documentos reabrem ao público, com regras de segurança e em novo horário. Entre as 9h30 e as 20h00, de 2ª a 6ª a Biblioteca passa a prestar este serviço, ininterruptamente.

Os utilizadores devem fazer o seu pedido previamente, via e-mail para o endereço bibliotecamunicipaldebejaemprestimo@cm-beja.pt  ou pelo número 284 311 901, marcando o dia e a hora para devolução ou receção do seu pedido.

Para entrar nas instalações da Biblioteca, os utilizadores têm de ter máscara de proteção e o acesso ao edifício é condicionado a um número máximo de pessoas, de acordo com regras vigentes.

A partir de 1 de junho e até 31 de agosto, a manterem-se as atuais diretrizes nacionais, reabrem os serviços de reprografia, de multimédia e a Cafetaria da Biblioteca.

Esta segunda fase do desconfinamento arranca também com a reabertura das creches, dos museus, dos restaurantes e com o regresso das aulas presenciais.

Os restaurantes, cafés, pastelarias e esplanadas retomam a atividade, com algumas medidas impostas pela DGS. A partir de hoje é obrigatória a “higienização constante do espaço e das superfícies de contacto, a distância de segurança entre mesas, o uso obrigatório de máscaras por parte dos funcionários e a reserva prévia de lugares”.


Nas creches o calçado é deixado à porta e é obrigatório a existência de distanciamento físico entre as crianças. Hoje reabrem também, os equipamentos sociais na área da deficiência. 


Para o início das aulas presenciais dos 11º e 12º anos, a DGS impõe a divisão das turmas e o uso de máscaras na sala de aula.


Nesta segunda fase de desconfinamento, “mantém-se a imposição do confinamento obrigatório para pessoas doentes ou em vigilância ativa, bem como o dever cívico de recolhimento obrigatório. Estão ainda proibidos os eventos ou ajuntamentos com mais de 10 pessoas”, esclarece o Jornal Correio da Manhã.


O uso de máscaras vai continuar a ser obrigatório nos transportes públicos, bem como o regime de teletrabalho.