Beja recebe conferência sobre iconografia das necrópoles

O ciclo de conferências “Sob a Terra e as águas, porque há sempre novas histórias para contar” regressa a Beja.

O Núcleo Museológico da Rua do Sembrano acolhe esta noite, pelas 21h30, a conferência “Ecos e Sinais – A iconografia das necrópoles sidéricas de Beja, entre o Alentejo e o Mediterrâneo”.

A iniciativa da EDIA em parceria com a Câmara Municipal de Beja e Direcção Regional de Cultura do Alentejo, com o apoio da Associação para a Defesa do Património Cultural da Região de Beja volta a mostrar o trabalho realizado no quadro das medidas de salvaguarda e de minimização dos impactes da construção de Alqueva no Património Arqueológico.

De acordo com a EDIA, a recente identificação das numerosas necrópoles da I Idade do Ferro do interior alentejano “veio transformar profundamente o panorama dos conhecimentos sobre esta região nos inícios do I milénio a.n.e..”

Os dados que estes conjuntos funerários oferecem para o estudo das comunidades que neles depositaram os seus mortos “são abundantes e diversos, mas entre os mais chamativos contam-se uma série de elementos iconográficos, especialmente terracotas figurando animais (aves e uma excepcional representação de um touro)”, adianta a mesma fonte.

Francisco Gomes, Investigador, Pós-Doutoral da UNIARQ – Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa e da Faculdade de Letras da mesma Universidade, é o orador convidado.