Beja tem árvore de “interesse público” que pode viver até 350 anos em “estado preocupante”

O clone da árvore australiana Wollemia nobilis, plantando do Jardim Público de Beja,em 2011 está “em estado preocupante”.

A árvore descoberta na Austrália em 1994, e classificada como “interesse público” pela Autoridade Florestal Nacional, em 2012, foi adquirida pela Escola Superior Agrária de Beja, por 7 mil e 500 euros, num leilão realizado em Sydney, na Austrália, em Outubro de 2005.

A aquisição patrocinada pela Fundação Calouste Gulbenkian tinha como objectivo a integração no Museu Botânico de Beja. A árvore permaneceu naquele local até 2011, altura em que foi doada ao Município de Beja, para integrar o Jardim Público da cidade.

Há oito anos que árvore, uma conífera da família Araucariaceae se encontra no Jardim Público de Beja, e neste momento, apresenta “um estado preocupante” com “folhagem bastante seca”. Embora seja visível algumas folhas verdes, é algo “muito residual”, explica Luís Miranda, vereador da Câmara de Beja.

Depois de colocada no Jardim Público, a conífera “teve sempre todos os cuidados necessários” e foi “sempre devidamente acompanhada”. A árvore consegue sobreviver entre os -5ºC e os 45ºC, mas em termos de humidade, a região “não consegue dar-lhe os níveis que necessita”, refere o vereador.

Luís Miranda relembra ainda, que “desde o início se conhecia que a sobrevivência [da conífera] não era um dado adquirido”.

Esta não é a primeira vez, que a árvore está nestas circunstâncias. Noutros Invernos existiram situações semelhantes “com problemas da seca da folha” e a planta “conseguiu sempre recuperar”. Este ano o estado da árvore “é mais gravoso, mas temos expectativa de que possa ainda recuperar”, conclui o vereador da Câmara de Beja.