Câmara de Beja vai criar fundo de apoio ao investimento

“A Câmara de Beja quer estar na primeira linha de apoio aos empresários” assegurou Paulo Arsénio, ontem, na inauguração do Espaço Empresa que entra hoje em funcionamento na Câmara de Beja.

O presidente do Município de Beja anunciou que em breve serão disponibilizados novos lotes para instalação de empresas. As áreas existentes, com preços “mais competitivos”, estão “praticamente esgotadas”. A autarquia candidatou um investimento de cerca de 2 milhões de euros para expansão da zona industrial.

O autarca não quer criar na cidade “parques industriais fantasma ou que se transformem em elefantes brancos”. Paulo Arsénio defendeu a extensão das zonas indústrias à medida das “estritas necessidades dos empresários e da economia” e não “para além das mesmas”, uma vez que os recursos públicos são escassos.

Para além de áreas de fixação de empresas, a Câmara vai criar um Fundo Municipal de Apoio ao Investimento para complementar o financiamento comunitário e os recursos próprios dos empresários.

Paulo Arsénio considera que com verbas até 50 mil euro é possível alavancar um negócio familiar ou de dimensão maior que, “por vezes, fica preso ou pendurado por pontas muito pequenas”. A Câmara, em seu entender, pode ser um parceiro “útil” e “pró-activo”.