Câmara de Serpa volta a defender gestão pública do Hospital de S. Paulo

A Câmara de Serpa considera que a introdução de novos serviços e especialidades no Hospital de São Paulo, é de “grande importância”, em especial para os utentes do concelho.

Contudo, a autarquia contesta o facto de desconhecer oficialmente o novo acordo assinado recentemente entre a ARS do Alentejo, a ULSBA Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, a ARS Algarve e a Santa Casa da Misericórdia de Serpa.

Em nota de imprensa enviada à Rádio Pax, a Câmara frisa que “os serviços de saúde prestados deveriam ser da total responsabilidade do Ministério da Saúde, o que não acontece desde 2014, depois de este Ministério ter assinado um acordo de cooperação com a Misericórdia de Serpa, que levou à transferência do Hospital de São Paulo para as mãos de privados, que acaba por receber doentes do Serviço Nacional de Saúde, prestando serviços ao Estado, mediante pagamento”.

Segundo a autarquia, “este acordo de cooperação nunca foi cumprido pelas partes”.

“O município é frequentemente posto à margem de qualquer negociação destas” lamenta Tomé Pires, presidente da Câmara de Serpa.