CAP não apoia cortes nas medidas agro-ambientais

A Confederação de Agricultores de Portugal (CAP) está contra as alterações ao pagamento das medidas agro-ambientais que irão sofrer um corte que ronda os 20 milhões de euros.

De acordo com o comunicado enviado à Rádio Pax, a CAP considera que “numa época em que se pede à sociedade e aos agricultores esforços acrescidos no sentido de evoluir para a descarbonização da economia e diminuir a pegada carbónica, quaisquer cortes nos apoios às medidas que sustentam essas práticas terão resultados negativos, desencorajadores e destruidores de valor associado às práticas agrícolas e seus produtos”.

A confederação propõe, ao Ministério da Agricultura, o diálogo a fim de encontrar “as melhores soluções que vão ao encontro das necessidades do sector (…)”.

“A CAP considera esta situação inaceitável, contra o pagamento das medidas agroambientais, prejudicando fortemente os Agricultores que mais se dedicam a elas e a práticas agrícolas que visam a sustentabilidade e o equilíbrio dos ecossistemas naturais, atingindo sobretudo as zonas mais desfavorecidas e de pequena propriedade.”

A Confederação marcou presença, na semana passada, no Ministério da Agricultura, juntamente com outras entidades representativas do sector agrícola, num encontro onde se ficaram a conhecer as medidas.