CDU e PS de “candeias às avessas”

Os Eleitos da CDU nas Assembleias de Freguesia do Concelho de Beja vêm em nota de imprensa mostrar a sua insatisfação com aquela que dizem ser a “falta de visão estratégica do executivo PS na Câmara, (…) refletida na falta de planificação sobre o início do ano letivo”.

No documento enviado às redações os eleitos mostram também o seu desacordo “na forma como [o Município] quer impor a aceitação da transferência de competência da Educação ao arrepio das deliberações dos respetivos órgãos competentes, agravando ainda mais os problemas da Educação no concelho”.

A CDU fala em “falta de planeamento e de articulação entre a Câmara, as Juntas de Freguesia e as Escolas Básicas de 1º Ciclo e Pré-Escolar”.

Em causa está a “preparação do início do ano letivo com a devida antecedência”, no que diz respeito à “conceção, impressão e colocação de sinalética, na entrega de máscaras e de gel desinfetante e na elaboração dos planos de transporte”.

Julieta Romão eleita da CDU disse à Rádio Pax que no que diz respeito aos transportes escolares, “algumas situações foram resolvidas na véspera, restando ainda muitas por resolver”.

A eleita salienta que os “alunos das freguesias rurais que frequentam as Escolas Secundárias em Beja e que entram às 13 horas só têm transporte público para a cidade às 7h da manhã e os alunos que terminam as atividades letivas às 12h50 e só têm transporte público às 19 horas para as suas localidades”.

A CDU diz ser “incompreensível que nalgumas freguesias, os alunos só iniciem as Atividades de Enriquecimento Curricular (AECS) dentro de uma ou duas semanas devido à colocação tardia dos respetivos professores” assim como “ser as Juntas de Freguesia assegurem o pagamento a uma funcionária para dar apoio aos professores do 1º ciclo”, ou ainda “a falta de Técnicos Especializados nas Escolas, nomeadamente Terapeutas da Fala, Psicomotricistas e Professores de Educação Especial e de Apoio ao Estudo para acompanhar os alunos com necessidades educativas especiais (…)”.

Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja relembra que foi este Executivo entre outras ações, que “tornou os passes escolares gratuitos para todos os alunos das freguesias rurais que estudam em Beja” e “incluiu os terapeutas da fala e professores de educação especial nas escolas do concelho”.

 O autarca refere que as AECS vão iniciar-se na próxima segunda feira, devido a “algumas dificuldades sentidas pelas entidades responsáveis”.

No que diz respeito à sinalética, Paulo Arsénio salienta, que “nos dias que antecederam o início das aulas, a Câmara de Beja colocou toda a sinalética e material em todas as escolas”.

O presidente do Município fala em “surpresas desagradáveis por parte das juntas de freguesia da CDU, que a poucos dias do início das aulas” informaram a autarquia que “não conseguiam assegurar alguns transportes complementares”.