CDU de Vidigueira “repudia” posição do Movimento Independente

A Concelhia da CDU de Vidigueira vem a público “repudiar” as posições do Movimento Vidigueira Independente (MVI) que considerou “ilegal” a Assembleia Municipal que reprovou a transferência de competências para o município.

Os comunistas lembram que “a tomada de posição na Assembleia Municipal de Vidigueira vai no mesmo sentido das posições já assumidas pela maioria das assembleias municipais do distrito de Beja, incluindo a Assembleia Intermunicipal da CIMBAL (Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo), que recusou por unanimidade – com os votos de eleitos de todos os municípios do distrito de Beja, tanto da CDU como do PS – a transferência de competências para 2019”.

A CDU “estranha a posição dos eleitos do Partido Socialista na Câmara Municipal de Vidigueira, que pretendiam que o executivo do município assumisse estas competências, tanto mais contra o que foi deliberado em Setembro 2018 pela Assembleia Municipal e após a aprovação do Orçamento para 2019”.

A CDU “repudia as suspeições que o MVI – Movimento Vidigueira Independente, tem pretendido insinuar sobre as tomadas de posição e decisões dos diferentes órgãos do município, aguardando serenamente e com confiança, o resultado de eventuais pareceres que venham a ser solicitados sobre o assunto à DGAL (Direcção Geral da Administração Local)”.

Por outro lado, “lamenta que por suposta pretensão de afirmação política, o PS e o MVI estejam a desviar as atenções em relação ao que é essencial, a salvaguarda e a defesa dos interesses das populações”.

Maria Manuel Gantes, eleita na Assembleia Municipal, e membro da concelhia da CDU de Vidigueira, defende a “legalidade do processo”.