CDU e PS de Moura trocam acusações

A Assembleia Municipal de Moura reprovou uma proposta da CDU para baixar a derrama paga pelas micro e pequenas empresas do concelho, com um volume de negócios anual inferior a 150 mil euros.

Em nota enviada às redacções, a concelhia de Moura da CDU frisa que a maioria PS que “chumbou” a proposta é a mesma que “resolve baixar os impostos para os contribuintes singulares com mais posses”.

Segundo a CDU, “por um lado o PS ‘oferece’ àqueles que menos necessitam um bónus fiscal da ordem dos 150 mil euros; por outro lado recusa, baixar os impostos às micro e pequenas empresas, essenciais ao desenvolvimento económico do concelho e responsáveis pela maioria do emprego”.

Rui Bebiano, membro da concelhia da CDU de Moura, afirma que a maioria PS beneficia os contribuintes que mais ganham ao baixar a taxa de Participação variável no IRS e prejudica as pequenas empresas ao não reduzir a derrama.

A concelhia de Moura do PS já reagiu a esta posição. Os socialistas afirmam que o executivo PS na Câmara “devolve 2% do IRS aos contribuintes, contra a vontade da CDU”.

O PS lembra que “os eleitos da CDU, enquanto governaram os destinos do concelho de Moura, nunca se lembraram de propor qualquer alívio fiscal às empresas”.

Rui Apolinário, presidente do PS Moura, afirma que a CDU tem “duas faces”, uma no poder, outra na oposição.

A concelhia de Moura do Partido Socialista fala em “folclore político” e acusa a CDU de incoerência pois não votou favoravelmente, na última assembleia, uma proposta de isenção de derrama para as empresas que se instalam no concelho.