CIMBAL exige acessibilidades

A Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) exige que o Governo dê “prioridade” às acessibilidades na região.

Na última reunião do Conselho Intermunicipal da CIMBAL foi elaborado um documento onde é expresso o “descontentamento” com a forma como o território “tem sido tratado pelos sucessivos governos”.

Os autarcas exigem que sejam criadas “as condições necessárias para que o Baixo Alentejo possa ser uma terra promissora, amiga do investimento e com um futuro auspicioso”.

No documento são referidas as “enormes carências” em matéria de rodovia e sublinhado o caso da A26/IP8, que deveria ligar Sines a Beja, mas cujas obras de construção dos troços entre Santa Margarida do Sado e Beja foram canceladas.

Segundo os autarcas, as carências da ferrovia também são “do conhecimento geral e do Governo”, sendo “ultrajante e até ofensivo” o serviço prestado no troço Beja/Casa Branca.

Os eleitos lamentam que “o aeroporto de Beja continue sem utilização condizente com a capacidade instalada”.

A CIMBAL realça ainda que “o desenvolvimento económico e o contributo do Baixo Alentejo para a riqueza nacional é uma realidade inquestionável”.