Confraria vai discutir problemas da região

Em Beja está constituída uma Confraria que quer reflectir sobre o futuro do território.

A Confraria dos Saberes, das Artes e dos Sabores pretende recuperar o “espirito” de tertúlia e discutir as oportunidades e os constrangimentos da região.

“A Confraria vem para discutir os problemas do país, do Alentejo mas principalmente os problemas do Baixo Alentejo tais como a mobilidade, a desertificação e outros que nos afectam”, revelou António Freire, membro da comissão fundadora da Confraria.

“Não estamos cá para apresentar as soluções, mas estamos para fazer parte da solução”, acrescentou.

A Confraria poderá “elaborar alguns documentos para ajudar na decisão de outros movimentos”, adiantou António Freire.

Fazem parte da Confraria professores universitários, autarcas, ex-autarcas, representantes de partidos políticos, artistas e cidadãos do Baixo Alentejo.

As tertúlias realizam-se na última quinta-feira de cada mês, em vão percorrer vários locais do Baixo Alentejo.

Cabeça Gorda e Vila de Frades são as localidades que vão receber as próximas tertúlias. Os apoios do “Portugal 2020” e o “Vinho de Talha” são as matérias na agenda dos confrades.

A nova confraria foi apresentada no decorrer de um almoço num hostel da cidade.