Congresso da AMAlentejo vai discutir Regionalização

“Mais Poder Local, Mais Democracia, Melhor Alentejo” é o tema dos trabalhos.

O Movimento, que se apresenta como “plural e suprapartidário”, vai debater as autarquias locais como agentes de desenvolvimento, defender a implementação das regiões administrativas e apresentar exemplos das vantagens da Regionalização em vários países da Europa.

José Soeiro, antigo deputado da CDU, membro da Comissão Dinamizadora, lembrou que “o poder local tem uma importante lacuna que são as Regiões Administrativas que estando consagradas na Constituição da República (…)” nunca foram implementadas.

José Soeiro considera que “não é aceitável que esta situação se perpetue” e que o poder central continue a “usurpar” o poder local.

A AMAlentejo assegura que o Congresso não parte com qualquer modelo pré-estabelecido para o Alentejo. Os defensores da criação de uma única região ou de várias regiões administrativas no Alentejo terão a oportunidade de exprimir os seus argumentos. Ceia da Silva, presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo/Ribatejo, membro da Comissão Dinamizadora, quer o Alentejo dê o “pontapé de saída” no processo de Regionalização.

A AMAlentejo entende que o desenvolvimento regional só se concretiza através da criação das regiões administrativas. Neste momento está a sensibilizar pessoas e organizações a juntarem-se ao Movimento.