Crónica de Opinião: O PS MAIS FORTE!

Comprova a sua vivacidade e representa uma cultura de transparência junto da sociedade portuguesa.

Embora a oportunidade não pareça ser a melhor não se deve retirar dos acontecimentos que precipitam a disputa pela liderança uma fatalidade que questione a capacidade do PS para ser alternativa política credível ao actual governo. Porque essa é também uma condição natural do PS, com responsabilidade e determinação suficientes para governar Portugal e servir os portugueses.

Mas este é agora um momento de reflexões e de escolhas. Uma ocasião de reforço do PS como o único partido capaz de governar o País, contrariando as políticas de ostracização e de ataque de um governo insensível e prepotente. Porque é aí que se encontram os nossos verdadeiros adversários!

Para comprovar a força do Partido Socialista é lançado um novo desafio de abertura e de transparência à sociedade: as eleições primárias, para escolher o melhor candidato do PS ao cargo de Primeiro-ministro. Uma inovação na relação dos partidos políticos com os cidadãos, credibilizando a política num momento de desconfiança.

E nessas escolhas cabem todos os pensamentos, cada um dos militantes do PS, cada um dos simpatizantes socialistas. Sempre em respeito pela opinião individual e pela escolha que entenderem fazer. Ao contrário do que se procura difundir este não é um momento de fracturação interna, nem de divisionismos. É sim um espaço de intervenção e de diversidade que enriquece o Partido Socialista, tornando-o ainda mais digno da responsabilidade de governar Portugal num futuro próximo.

Também eu tenho opinião e farei a minha escolha. Fá-lo-ei na convicção de que é o melhor para o PS. Mas também o faço respeitando as escolhas diferentes de outros camaradas, igualmente convictos de defender o melhor para o nosso partido.

Acredito, sempre acreditei, que o exercício de uma liderança se faz gerando consensos, unindo, fortalecendo. Tenho procurado fazê-lo neste mandato e continuarei a fazê-lo no futuro, manifestando a minha disponibilidade para continuar a liderar o PS / Baixo Alentejo.

Conheço os militantes e os socialistas do Baixo Alentejo e sei que acreditam que é mais importante o que nos une do que aquilo que nos separa. Conseguiremos ultrapassar este processo sem questionar a nossa união e sem deixar de respeitar e credibilizar os resultados que advirão das eleições primárias.

Porque em cada combate o PS fica mais Forte!

Pedro do Carmo

Presidente da Federação do baixo Alentejo do PS