Desenvolvimento é fundamental para a CDU em Beja

A expansão da zona de acolhimento Empresarial e respectivas acessibilidades é uma das prioridades de João Rocha, se for reeleito presidente da Câmara de Beja. O projecto tem um custo estimado de 2 milhões de euros.

A CDU deu ontem a conhecer o seu compromisso eleitoral, em conferência de imprensa. João Rocha anunciou que está em curso a aquisição de mais terrenos para fixação de empresas.

O candidato comunista assegura que neste momento estão reunidas “todas as condições” para quem quer investir em Beja.

João Rocha olha para o Centro Histórico como factor de desenvolvimento. A CDU apresenta como compromissos a reabilitação da Praça da República à Rua das Lojas, a recuperação do edifício da Câmara, a beneficiação das muralhas da cidade e classificação do Centro Histórico como conjunto patrimonial de interesse público.

Para João Rocha a realização de eventos no Centro Histórico foi uma aposta ganha. De acordo com o candidato da CDU e actual presidente, há pessoas e empresas interessadas em regressar ao Centro Histórico de Beja.

A requalificação da Biblioteca Municipal, a criação do Museu de Banda Desenhada, a qualificação do Jardim Público e do Parque da Cidade, a construção da Circular Nascente de ligação ao IP8, o aumento dos benefícios do cartão sénior e a remodelação do Mercado Municipal são outros dos compromissos anunciados pela CDU.

Miguel Madeira, membro da DORBE do PCP sublinhou que no actual mandato a CDU reduziu a dívida da Câmara de Beja e o prazo de pagamento a fornecedores. A Coligação Democrática Unitária classificou como “negros” os anos em que o PS esteve à frente da Câmara. Na opinião da DORBE do PCP o actual executivo acabou com o “desgoverno” no Município de Beja.