Distrital de Beja do PSD quer explicações do PS

A Comissão Política Distrital de Beja do PSD tomou conhecimento da publicação de uma reportagem que refere a existência de negócios de mais de um milhão de euros, entre empresas de familiares directos de um antigo assessor do deputado, Presidente da Federação do PS de Beja e ex-Presidente da Câmara Municipal de Ourique, Pedro do Carmo, e diversas autarquias socialistas do Baixo Alentejo.

Em Nota de Imprensa o PSD diz que aguarda “com serenidade, as explicações que sobre o caso se impunham por parte do Partido Socialista, da sua Federação do Baixo Alentejo, do deputado Pedro do Carmo e das autarquias directamente citadas na referida reportagem”.

De acordo com os social-democratas, “passados cinco dias de inqualificável silêncio, torna-se evidente que o Partido Socialista, os seus dirigentes e autarcas não tencionam esclarecer publicamente os factos referidos na reportagem, optando tacticamente por aguardar que a notícia caia no esquecimento”.

A Comissão Política Distrital de Beja do PSD, considera que se trata de “uma situação que, mais do que um caso político, é um caso de polícia”.

O PSD, pela mão de Gonçalo Valente, adianta que “a provar-se o que foi noticiado, não pode deixar de manifestar a mais profunda repulsa pela atitude de quem, usando a sua influência junto de decisores políticos, engendrou um esquema de negócio através do qual conseguiu arrecadar contractos públicos por ajuste directo superiores a mais de um milhão de euros, recorrendo para o efeito a empresas detidas por “testa de ferro”, seus familiares directos”.

A concelhia de Ourique do PSD expressa também, em nota de imprensa, “a sua indignação e preocupação” relativamente a esta matéria.