EDIA encerra todos os espaços de acesso público

A EDIA decidiu encerrar todos os espaços de acesso público, nomeadamente, o Centro de Interpretação de Alqueva e o Museu da Luz. Além disso, o atendimento presencial é feito, apenas, com marcação prévia.

A decisão foi tomada, tendo em conta a evolução da situação pandémica em Portugal e de acordo com o Plano de Contingência da EDIA e das recomendações da DGS.

A EDIA optou, igualmente, por “restringir o atendimento presencial na sua sede e nos edifícios de apoio à exploração, exigindo a sua marcação prévia e aconselhando os seus clientes a utilizarem o email e o telefone como canais de comunicação preferencial”.

Segundo a mesma fonte, “as equipas operacionais dos perímetros de rega, assim como as de apoio ao cliente, estão disponíveis através dos contactos que se encontram disponíveis nos editais”.

“As restantes atividades mantêm-se, nomeadamente, as empreitadas em curso, os programas de manutenção e a assistência aos clientes”.

A EDIA explica que “tem a seu cargo o fornecimento de água para rega, bem como, para reforço do abastecimento público e industrial”.

“Estas medidas visam garantir o regular funcionamento deste serviço essencial para o funcionamento da nossa sociedade”, frisa ainda o comunicado da EDIA.