EDIA revela aptidão das terras para regadio

A EDIA já tem disponível no seu site a Carta de Aptidão ao Regadio.

Esta carta apresenta, segundo a empresa que gere Alqueva, “a classificação de aptidão ao regadio pelo sistema USBR (United States Bureau of Reclamation) que se baseia no princípio de que uma terra para poder ser beneficiada com regadio deve ter a capacidade produtiva que pague os encargos comuns, de exploração; de desenvolvimento; de remuneração do agricultor, e da água de rega”.

Desta forma, adianta, “a Classe de Aptidão exprime o grau de aptidão ao regadio, de acordo com as suas características físicas (textura, profundidade, topografia e drenagem) e químicas (teor de matéria orgânica, pH, Bases e Capacidade de Troca), que conduz a um conjunto de resultados económicos, variando entre a melhor, classe 1 ou Aptidão Elevada, até à classe 6 ou Inaptidão Total”.

Este estudo foi realizado em 2003 para uma área total de 190 mil ha, dos quais se classificaram 121 mil ha como aptos para regadio (classes 1 a 4).

Com esta iniciativa, a EDIA revela que “dá continuidade à disponibilização gratuita de ferramentas de ajuda à decisão para os investimentos agrícolas dos agricultores”.