Enfermeiros prosseguem greve

A greve dos enfermeiros pretende contestar o aumento do horário de trabalho de 35 horas para 40, as desigualdades salariais e a progressão na carreira, para além de alertar para a “grave carência de enfermeiros em todas as instituições do Serviço Nacional de Saúde”.

Segundo o SEP, a falta de profissionais “não se minimiza” com a contratação de 1 700 enfermeiros para 2015, anunciada pelo Governo. Os dados da Ordem dos Enfermeiros apontam para a falta de 25 mil enfermeiros no país.