Equipa de Intervenção Permanente custará 100 mil euros à CM Beja

Beja está entre as cidades que nos próximos três anos vai ter uma EIP- Equipa de Intervenção Permanente.

O protocolo assinado no passado, dia 19 de Dezembro, em Leiria pretende “melhorar a eficiência da protecção civil e as condições de prevenção e socorro face a acidentes e catástrofes (…)”, explica a Câmara de Beja.

Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja explicou à Rádio Pax que a EIP pretende “reforçar o socorro no território”.

A equipa será constituída por cinco elementos, que serão seleccionados e recrutados pela Associação Humanitária dos Bombeiros de Beja.

Os custos serão suportados em 50% pela Câmara de Beja e 50% pela ANPC- Autoridade Nacional de Protecção Civil, implicando um esforço financeiro, à autarquia de cerca de “33 mil euros por ano”, o que representa perto de “100 mil euros nos três anos”, explica o autarca.

A Equipa de Intervenção Permanente ficará “sob a tutela do presidente da Câmara, e só poderá ausentar-se do concelho com autorização do presidente da autarquia”, conclui Paulo Arsénio.