“Falta de segurança em Beja surge com o aproximar das eleições”, diz Fernando Romba

“A criação de uma falsa sensação de insegurança nas pessoas”, em Beja – responsabilizando, as comunidades migrantes residentes na cidade – “é excessiva e abusiva”, em particular, por acontecer numa altura de pré-campanha eleitoral. A opinião é de Fernando Romba, comentador do programa Visão dos Tempos.

Fernando Romba diz “não estranhar” os últimos episódios relacionados com alegadas situações de falta de segurança, que em parte poderão, na sua opinião, ser justificados com o aproximar das eleições autárquicas.

O comentador do Visão dos Tempos considera que situações de insegurança e até de crimes existem desde sempre e em todo o lado e realça o facto do Baixo Alentejo ser das regiões com mais baixos índices de criminalidade, sendo, das mais seguras em todo o país.

Nesse sentido, diz ser “excessivo e até abusivo” criarem “esta falsa sensação de insegurança nas pessoas” e usarem-na “como um argumento de arremesso político que nunca altura destas – de pré-campanha – é no mínimo infeliz”

Fernando Romba considera que “a globalização chegou ao Baixo Alentejo” e as pessoas oriundas do “Nepal, do Bangladesh, da Índia” e de outros pontos do mundo “vêm procurar melhores condições de vida”.

Frisa, ainda, que “estas pessoas são necessárias e temos que ter essa consciência”, porque do ponto de vista económico e com a agricultura intensiva praticada, em particular, nos concelhos “banhados pelo Alqueva”, em determinados picos de campanhas há necessidade de muita mão-de-obra.