“Falta vontade política ao governo para solucionar problema em Fortes” diz João Dias

O Grupo Parlamentar do PCP redigiu um requerimento ao Presidente da Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território a solicitar a presença de várias entidades para esclarecerem o problema ambiental e de saúde pública de Fortes, Ferreira do Alentejo e concelhos limítrofes, relacionado com a laboração de bagaço de azeitona e a produção intensiva de olival.

No requerimento a que a Rádio Pax teve acesso, o PCP refere que as unidades industriais de processamento do bagaço de azeitona de Ferreira do Alentejo e Alvito, “vieram confrontar a região com problemas que nunca antes se haviam conhecido”.

“Da sua atividade resultam efluentes gasosos e líquidos que pelas suas características são suscetíveis de prejudicar a saúde publica e ambiental no caso de exposição.”

O PCP pede assim a presença da Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT), da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), da Agência Portuguesa do Ambiente (APA)e da Associação Ambiental Amigos das Fortes (AAAF), na Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território para prestar esclarecimentos sobre aquela matéria.

João Dias, deputado do PCP na Assembleia da República, disse à Rádio Pax que a Assembleia aprovou uma Resolução “para que fossem tomadas medidas que corrijam os graves problemas ambientais e de saúde pública decorrentes da atividade de extração de bagaço”.

Em seu entender “falta a vontade política do governo para intervir e regulamentar o que é necessário fazer para que estes problemas sejam corrigidos”.