Faltam estudos sobre o suicídio no Baixo Alentejo alerta Ana Matos Pires

A Associação ARIS da Planície assinala hoje o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio.

A Associação tem no terreno o projecto Setembro Amarelo. Trata-se de uma campanha, nascida no Brasil, com o objectivo de prevenir o suicídio. Beja foi a primeira cidade do país a juntar-se a esta campanha no ano passado. Este ano volta a desenvolver diversas acções durante este mês.

Ana Matos Pires, presidente da ARIS da Planície e directora do serviço de psiquiatria do Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), realça que este é um problema com particular expressão na região.

“O Alentejo tem três vezes a taxa nacional de suicídio”, alerta Ana Matos Pires. Na opinião desta especialista, a falta de estudos sobre este fenómeno dificulta a implementação de estratégias de prevenção mais eficazes.

A ARIS da Planície assinala hoje o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio com um colóquio centrado na forma como os órgãos de comunicação social tratam esta matéria.

Segundo a Associação, “os órgãos de comunicação social têm um papel particularmente importante na prevenção do suicídio, podendo, através da sua actuação, potenciar ou enfraquecer os esforços neste sentido”.

Jornalistas e técnicos de saúde mental juntam-se à mesma mesa.

Ana Matos Pires diz que há normas que nem sempre são cumpridas pela comunicação social.