Feira do Livro é “uma iniciativa digna da cidade de Beja”, diz o presidente da ASSESTA

Foto|CIMBAL

A cidade de Beja continua a receber até, ao próximo domingo, a 1ªedição da Feira do Livro “Solstício das Palavras”, um evento organizado pela autarquia bejense, em parceria com a ASSESTA.

Tertúlias com escritores, sessões de autógrafos, espetáculos, exposições, atividades para pais e filhos e feira do imaginário e artesanato urbano são algumas das sugestões para os visitantes do evento que abriu portas na segunda-feira.

Ana Paula Amendoeira, Diretora Regional de Cultura do Alentejo, na inauguração da iniciativa, que aconteceu na passada segunda-feira, sublinhou a importância das verbas inscritas, para a área da Cultura, no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), que se destinam, sobretudo para a transição digital da Rede de Bibliotecas Públicas.

A responsável considerou, contudo, que “a leitura é que é realmente importante”, dizendo que “tudo o resto é instrumental”.

Luís Miguel Ricardo, presidente da ASSESTA – parceira na organização da iniciativa – destacou a importância do evento, dizendo tratar-se “de uma feira digna da cidade de Beja”, esperando que tenha continuidade nos próximos anos, por “dignificar a palavra”.

É com a metáfora “o livro é uma máquina do tempo” que Luís Miguel Ricardo disse que o evento pode definir-se como um “grande stand de máquinas do tempo”, aludindo ao facto da leitura permitir “viajar sem fronteiras”. 

Nesta quarta-feira, pelas 18:30 horas, no Centro UNESCO, os autores da Associação de Escritores do Alentejo lançam o Fanzine da ASSESTA.

Uma hora depois, às 19:30 horas, no mesmo local, realiza-se o lançamento do livro “Vasco da Gama – o Bastardo Indomável e outras estórias”, de Francisco do Ó Pacheco, numa conversa conduzida por Manuel Camacho.

O terceiro dia do evento termina com a atuação dos Sericaia, duo aveirense constituído por Susie Filipe (percussão e voz) e Vítor Hugo (voz e guitarra), num espetáculo marcado para as 22:00 horas, no logradouro do Centro UNESCO.