João Ramos quer saber qual o futuro dos trabalhadores do Hospital de Serpa

O deputado do PCP eleito por Beja voltou a questionar o governo sobre o Hospital de S. Paulo em Serpa. O parlamentar quer saber qual o futuro dos trabalhadores daquela unidade de saúde.

De acordo com o PCP, o Hospital de S. Paulo tem ao seu serviço oito enfermeiros, sendo seis com Contracto Individual de Trabalho e dois com Contracto de Trabalho em Funções Publicas, com a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo que se encontram cedidos no âmbito do acordo de cedência de gestão. A estes juntam-se 10 assistentes operacionais nas mesmas condições.

No âmbito do processo de cedências, aos trabalhadores com Contracto Individual de Trabalho não foi dada opção de escolha tendo sido automaticamente colocados ao serviço da Misericórdia.

Entretanto, foi anunciado pela Santa Casa da Misericórdia a extinção do acordo de cooperação assinado entre as ARS do Alentejo e do Algarve, a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo e a Santa Casa da Misericórdia de Serpa.

João Ramos quer saber se o ministério da Saúde garante que os direitos dos trabalhadores são respeitados no processo de extinção do acordo de cooperação; por que razão não têm sido prestados todos os esclarecimentos aos trabalhadores sobre este processo; que intenções existem relativamente aos trabalhadores que têm contracto de trabalho com a ULSBA; por que razão não está ainda resolvida a situação do pagamento das horas em divida e quando será resolvido esse problema.