Maioria CDU “chumba” Orçamento da Câmara de Castro Verde

A maioria CDU na Assembleia Municipal de Castro Verde reprovou, na semana passada, as Grandes Opções do Plano e o Orçamento para 2019 da Câmara.

António José Brito, presidente da Câmara de Castro Verde, lamenta a postura da CDU e responsabiliza os comunistas por tudo “de mau e de negativo” que o “chumbo” do Orçamento representa.

O presidente do Município vai mais longe e diz que quando vota contra o Orçamento, a CDU vota contra a requalificação da escola secundária, a requalificação das estradas para Santa Bárbara de Padrões e Neves Corvo, a melhoria na rede de águas, a construção da zona de actividades económicas de Castro Verde e a beneficiação do Pavilhão Gimnodesportivo.

A CDU ainda “não compreendeu o resultado das eleições”, acrescenta António José Brito que vê neste “chumbo” uma “oposição” ao concelho de Castro Verde, mais do que ao Partido Socialista.

Manuela Florêncio, vogal da CDU de Castro Verde, diz que os comunistas não podem aceitar que o PS continue a “imputar a sua inoperância” à herança recebida da CDU.

Por outro lado, os comunistas consideram “inaceitáveis” as propostas de delegação de competências nas Juntas de Freguesias.

A CDU fala na num Orçamento com “lacunas e erros”.

A Câmara de Castro Verde vai rever o Orçamento e submeter uma nova versão à Assembleia Municipal.