“Médicos de Saúde Pública fazem falta em tempo de guerra e não em tempo de paz”, diz João Paulo Ramôa

Se os “médicos de saúde pública não fazem falta em tempo de guerra, também não fazem falta em tempo de paz”. A declaração é defendida por João Paulo Ramôa, durante o programa “Visão dos Tempos”, da Rádio Pax.

Numa altura em que os números de infeção pelo novo coronavírus estão a aumentar descontroladamente, o comentador quer saber se esses profissionais de saúde já foram substituídos ou se continuam os outros médicos “a dar uma perninha” para tentar resolver a situação.

Para João Paulo Ramôa existem duas hipóteses: “ou os profissionais de saúde fazem falta, e nesta altura, fariam ainda mais [falta], ou, se esses médicos não fazem falta agora, não fazem falta nunca”.