Mercado de Beja tem aprovado empréstimo para obras

A Assembleia Municipal de Beja aprovou, por unanimidade, esta semana, a contratação de um empréstimo de 573 mil euros, a 15 anos, junto do Banco Europeu de Investimento (BEI), para reabilitação do edifício do Mercado Municipal.

“O Mercado Municipal de Beja é um dos processos mais complexos em que a Câmara Municipal está envolvida”, admitiu Paulo Arsénio, presidente da Câmara, depois de questionado por um munícipe, no início da Assembleia, sobre a validade do empréstimo.

Três vendedores do Mercado, com quem a Câmara de Beja não conseguiu chegar a acordo, avançaram com uma providência cautelar, junto do Tribunal, para impedir o arranque da reabilitação.

Paulo Arsénio admite que a obra pode chegar a não avançar, mas acredita que o “interesse público vai sobrepor-se ao interesse privado”.

A Câmara de Beja quer um Mercado “em condições”, com os operadores “que queiram voltar e que tenham as contas em dia”.

Paulo Arsénio lamentou que muitos vendedores não cumpram com as suas obrigações, nomeadamente no que diz respeito ao pagamento do aluguer dos espaços. As dívidas à Câmara ascendem aos 200 mil euros.