Opinião: Fernando Romba

Fazer Diferente!

Estas eram as primeiras duas palavras do slogan da candidatura do PS, nas autárquicas 2017 do concelho de Beja.

Do anterior executivo, pouco ou nada ficou em termos de projetos futuros para o concelho…

Recuperar, valorizar e promover foram verbos utilizados como traves mestras do programa eleitoral.

E, de facto, foi o que tem sido feito ao longo deste mandato: uma especial incidência na recuperação de um conjunto de equipamentos públicos que já apresentavam limitações significativas à sua utilização. Recordamos a requalificação profunda do Complexo Desportivo Fernando Mamede, já concluída. Mas também as grandes intervenções em decurso nas Piscinas Descobertas e no Mercado Municipal. O próprio edifício dos Paços do Concelho, o logradouro do Centro Unesco e inúmeras intervenções continuam alvo de significativos melhoramentos. Destacar ainda o investimento efectuado no Centro Histórico de Beja, com a implementação de percursos acessíveis (beneficiando a mobilidade pedonal); a reabilitação do Arco dos Prazeres e das Muralhas do Castelo; a recuperação de edifícios na Praça da República, tendo por objecto o arrendamento acessível, etc. O concelho de Beja tem em curso e em lançamento de procedimentos, o maior conjunto de obras alguma vez realizado. 

De um concelho abandonado e sem rumo, foi definido e prosseguido um novo caminho.

Dos novos projectos, permitam destacar três:

Parque Fluvial dos Cinco Reis – do ponto de vista turístico, uma nova atracção para o território, complementar à magnífica oferta que o Baixo Alentejo dispõe;

Zona de Acolhimento Empresarial Norte – conseguir “desenlear” o complicado novelo que tinha ficado do anterior executivo e proporcionar condições para instalação de novos investimentos, principalmente na área agro-industrial;

Construção de instalações para o CEBAL – este será sem dúvida um dos mais importantes investimentos, não apenas para Beja, mas para a região. Quando, muitas das vezes, se fala da ausência de “massa crítica”, esquecem-se do extraordinário “centro de conhecimento” com sede em Beja. Dezenas de investigadores desenvolvem projectos, com reconhecimento nacional e internacional, em estreita ligação com as necessidades do território. Importa pois, criar condições para desenvolverem o seu trabalho. Naturalmente, com melhores instalações e equipamentos, a capacidade de captar “cérebros” para o Baixo Alentejo aumentará e possibilitará a fixação de pessoas altamente qualificadas.   

Alguns, apontarão o dedo para o que ainda não foi feito. Neste mandato foram aproveitadas as verbas disponíveis nos financiamentos comunitários e outros, permitindo desenvolver estas inúmeras frentes de obra. Com certeza, nem tudo foi feito no tempo desejado! Todavia, seguimos no rumo certo. 

Daqui por alguns meses seremos chamados a votos. No prato da balança, apenas dois projetos poderão aspirar a ganhar. A escolha será entre “o regresso ao passado” ou a continuação do trabalho desenvolvido, continuando na senda do desenvolvimento e preparando o nosso concelho para o período pós pandemia. 

Os eleitores saberão o que fazer e, pessoalmente, acredito que escolherão o melhor para o seu concelho: o projecto do Partido Socialista. 

Fazer diferente! Fazer melhor!

Fernando Romba

1º secretário da CIMBAL