Opinião: Miguel Ramalho

Há quem diga que a demografia e a desertificação humana são os problemas mais graves que teremos de enfrentar nas próximas decadas. Vem isto a propósito dos resultados preliminares dos Censos de 2021, que deitam por terra todas as teorias da conspiração desenvolvidas pelos dirigentes regionais do PS, autarcas e deputados os quais, ao longo de décadas em que a CDU geriu a maioria dos Municípios do distrito, responsabilizaram o PCP e os seus autarcas pela falta de investimento e a consequente desertificação humana. Costuma dizer-se que pela boca morre o peixe e não há expressão que melhor se adeque a este comportamento dos responsáveis socialistas. 

Atentemos só ao caso do Município de Beja, que está longe de ser a pior situação. Se nos Censos de 2011 o Município viu manter a sua população comparativamente com os Censos de 2001, nos deste ano há uma redução de 6.8%, uma diminuição absoluta de 2453 residentes.

Esta evolução aconteceu numa década em que a maior parte dos anos foi o PS que geriu as Câmaras e o Governo. Os resultados estão aí: afinal com Câmaras geridas pelo PS a situação económica e social agravou-se ainda mais. É caso para perguntar: o que têm agora a dizer?

Com os problemas a não verem a luz ao fundo do túnel, dos grandes aos pequenos, das acessibilidades à área da saúde, da segurança à educação, passando por tantos outros setores, os autarcas e deputados do PS calam-se para não beliscar as opções das estruturas nacionais do Partido. Autarquias submissas e subservientes a políticas governamentais desta natureza são prejudiciais à saúde, à educação, aos direitos mais elementares da população que os autarcas, sejam eles eleitos nos Municípios ou nas Freguesias, têm obrigação de defender.

Como se provou ainda mais nesta década, não é com políticas destas que o concelho, o Baixo Alentejo ou o Alentejo avançam, ao contrário do que andaram a propagandear os responsáveis regionais do Partido Socialista de que com o PS no Governo e nas autarquias o Baixo Alentejo avançaria. O resultado está aí, à vista de todos! E estes resultados têm responsáveis. É caso ainda para dizer que a demagogia e o populismo têm perna curta!

Miguel Ramalho

Chefe de gabinete do presidente da Câmara Municipal de Vidigueira