PCP diz que Orçamento de Estado para 2019 deixa de fora investimentos estratégicos

A proposta de Orçamento de Estado para 2019 deixa de fora “um conjunto significativo de investimentos indispensáveis ao desenvolvimento regional”, diz a Dorbe do PCP.

Em nota de imprensa enviada à Rádio Pax, o PCP destaca a “ausência de investimentos na rede rodoviária e ferroviária regional bem como o desinvestimento previsto para a área da saúde no distrito com a diminuição da verba a atribuir à Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo superior a meio milhão de euros”.

Ainda na área da saúde, o Orçamento “ignora”, segundo o PCP, a construção da 2ª fase do Hospital Distrital de Beja.

A DORBE do PCP “chama a atenção para a necessidade de um reforço do investimento público na região e reafirma a sua posição, firme, coerente e determinada na defesa dos interesses dos trabalhadores e da população da região, pela valorização do trabalho e dos trabalhadores, das pensões de reforma e apoios sociais”.

João Dias diz que, ainda assim, o Orçamento “tem coisas positivas”. O deputado do PCP eleito por Beja cita os casos do aumento extraordinário das pensões, do alargamento do abono de família, das condições de acesso à reforma de trabalhadores com longas carreiras e da gratuitidade dos manuais escolares até ao 12º ano de escolaridade.

O PCP considera “um ataque inaceitável aos direitos da população” o encerramento de Estações do CTT na região.