PCP preocupado com escolas da região

Está em curso mais uma campanha do PCP. A iniciativa sob o lema “Defender a Escola Pública, Aumentar os Meios e as Condições, Lutar Contra a Precaridade Laboral” decorre até ao final do próximo mês.

O PCP diz ser “inaceitável” a “instabilidade que marcou os anteriores anos lectivos e que foi também transportada para o actual”. O partido considera que esta instabilidade “é a causa de enormes prejuízos para os alunos, as suas famílias e para os professores”.

Na nota de imprensa enviada às reacções o PCP salienta que esta situação resulta “da redução do investimento público no sistema educativo ao longo de décadas, com consequências gravíssimas”.

No mesmo documento, os comunistas acusam o Governo e o actual Ministério da Educação de “criarem ilusões de que não existem problemas estruturantes no sistema educativo e nas escolas”.

João Ramos, deputado do PCP eleito por Beja explica que o partido defende a “resolução das carências das necessidades permanentes de pessoal, com a contratação de funcionários e professores”.

O PCP considera fundamental a “dotação das escolas públicas com meios e condições necessárias e a promoção de uma política educativa que assuma a educação como um valor estratégico fundamental para o desenvolvimento do país”.

No âmbito desta campanha Regional do PCP, uma delegação da DORBE – Direção da Organização Regional de Beja, esteve ontem reunida com a Direcção Regional de Beja do STAL e com a Delegação Distrital de Beja do SPZS- Sindicato dos Professores da Zona Sul.

Até ao final do mês de Fevereiro vão decorrer acções de contacto com os trabalhadores, junto às escolas, com a distribuição de um documento dirigido e reuniões com os agrupamentos escolares, pais, encarregados de educação e sindicatos do sector.