PCP quer medidas para minimizar efeitos da seca

O PCP considera necessário tomar medidas excepcionais para a situação de seca que a região atravessa a fim de ser assegurado o abastecimento de água e o desenvolvimento da actividade Agropecuária.

Para além das medidas de carácter excepcional que a situação exige, é indispensável, na óptica da Direcção Regional do Alentejo do Partido Comunista, “a adopção de medidas de carácter estrutural que vão para além das medidas de mitigação e contingência, partindo da realidade concreta, da previsão das necessidades, planeando os investimentos necessários, definindo prazos e meios para a sua concretização”.

O PCP defende “a elaboração de um plano que hierarquize o uso da água, em função da seca, que combine usos subterrâneos e superficiais numa lógica de complementaridade, privilegiando o uso humano, a saúde pública e a pequena e média agricultura, adaptado às condições edafoclimáticas e salvaguardando os rendimentos dos trabalhadores”.

José Maria Pós-de-Mina, membro da Direcção Regional do Alentejo do Partido Comunista, afirma que “é importante passar das palavras aos actos”.