Pedro do Carmo confronta governo com ausência de investimentos para a região

O deputado do PS eleito por Beja dirigiu várias questões ao Ministro do Planeamento e das Infra-estruturas a propósito do que diz ser a “inaceitável exclusão inicial da modernização ferroviária do troço Beja-Casa Branca do universo de projectos do Programa Nacional de Investimentos (PNI2030)”.

Segundo Pedro do Carmo, “o Baixo Alentejo, por impulso do Alqueva e de uma crescente e ampliada capacidade produtiva regional, é hoje um contribuinte líquido para o crescimento da economia nacional, para a dinamização de um território do Interior e para a concretização de razões para a crença fundamentada num futuro para a região”.

Num território como o do Baixo Alentejo, adianta, “a mobilidade assume uma relevância fundamental, sendo importantes todos os sinais positivos registados nas infra-estruturas rodoviárias, aeroportuárias e portuárias (Sines)”.

Pedro do Carmo que saber “como pretende o governo conciliar o discurso e o compromisso político de valorização do Interior com esta exclusão inicial das necessidades e das ambições ferroviárias do Baixo Alentejo no quadro das perspectivas de investimento para 2030”.

Por outro lado, pretende apurar se “está o governo aberto a proceder a uma redefinição dos projectos no âmbito da discussão pública agora iniciada, integrado a modernização ferroviária do troço entre Beja e Casa Branca no elenco de investimentos para o médio e o longo prazo”.

Por último, questiona “qual o calendário concreto para a concretização de medidas de mitigação dos problemas registados no serviço público ferroviário no Baixo Alentejo, em especial na ligação entre Beja e Lisboa”.