Pedro do Carmo sai em defesa das touradas

O deputado do PS eleito por Beja defende que as “as touradas e as outras manifestações tauromáquicas fazem parte da identidade de muitas comunidades no país, são factor de valorização do Mundo Rural e importantes alavancas das economias locais”.

A Assembleia da República discute hoje um projecto de lei do Pessoas, Animais, Natureza (PAN) que pretende a abolição total das touradas.

Num artigo de opinião assinado, esta semana, no Diário de Notícias (DN), Pedro do Carmo deixa bem clara a sua intensão de voto.

O parlamentar frisa que “há em Portugal uma perigosa deriva proibicionista que quer proibir tradições e marcas de identidade e liberalizar costumes e novas realidades. É uma espécie de arrogância pseudointelectual de minorias que ambicionam construir a sua realidade em cima do fim das tradições, das marcas de identidade de territórios e de um determinado pulsar do Mundo Rural, que faz com, por exemplo, o toiro de lide só exista como espécie animal para a sua participação nas touradas”.

Em seu entender, é “deslocada e arrogante, a intenção de querer impor uma visão de sociedade, de gostos e de crenças pessoais como letra de lei, sem ter em conta as realidades locais e as dinâmicas existentes nos territórios, expressões populares e tradicionais que têm sido importantes alavancas de desenvolvimento local”.

O deputado conclui que é “a favor das touradas porque, fazem parte do património de muitas comunidades e territórios e são importantes para a nossa identidade enquanto povo”.