Plataforma Alentejo analisa ferrovia, aeroporto, rodovia e território

A “Plataforma Alentejo – Estratégia Integrada de Acessibilidade Sustentável do Alentejo nas ligações Nacionais e Internacionais” promove hoje um debate sobre as acessibilidades e transportes que quer ver inscritos no Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território (PNPOT) e considerados no Programa Nacional de Investimentos- PNI 2030.

A ferrovia, o aeroporto, a rodovia e o território são matérias em análise.

A Plataforma defende a ligação Ferroviária Sines-Caia por Beja, a integração do Aeroporto Internacional do Alentejo/Beja como parte do sistema aeroportuário nacional, a electrificação e modernização da Linha Ferroviária e a conclusão das obras da A26 que liga a A2 ao Aeroporto Internacional do Alentejo/Beja, entre outras.

Na sessão participam Filipe Pombeiro, presidente do NERBE/AEBAL; Manuel Tão, professor e investigador da Universidade do Algarve, especialista em ferrovia; Nuno Marques da Costa, Geógrafo, Professor no Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa e Elio Bernardino, Mestre em Estruturas.

Após a intervenção dos especialistas, será dada a palavra aos participantes.

Filipe Pombeiro, presidente do NERBE/AEBAL, realça que a iniciativa insere-se num conjunto de acções a desenvolver em todo o Alentejo no sentido de promover a Plataforma.

Os investimentos reclamados são importantes não só para o Alentejo como para o país, adianta Filipe Pombeiro.

A sessão tem lugar, pelas 15 horas, no Auditório do NERBE/AEBAL, em Beja.

As organizações empresariais do Alentejo, várias entidades públicas e privadas a par de movimentos de cidadania e cidadãos integram a Plataforma Alentejo.