Polícia encontra droga quando procurava obras de arte

Começou ontem a ser julgado no Tribunal de Beja um homem de 55 anos, acusado de tráfico de estupefacientes. Na altura da apreensão o arguido tinha na sua posse cerca de um quilo e meio de haxixe, o equivalente a mais de 7.000 doses individuais.

Manuel Janeiro e a advogada de defesa tentaram provar, perante o colectivo de juízes, que a droga encontrada destinava-se apenas para consumo do arguido.

Também as testemunhas de defesa afirmaram que tinham conhecimento que Manuel Janeiro consumia estupefacientes mas nunca presenciaram qualquer acção relacionada com o tráfico.

Devido à sua “excentricidade, é bem possível que o Manel tenha comprado essa quantidade de droga de uma só vez”, assumiu uma das testemunhas.

Manuel Janeiro é conhecido na cidade de Beja pela sua presença “original” e pelas festas exuberantes que proporcionava aos amigos.

Não lhe é conhecida nenhuma profissão e a sua fonte de rendimento resulta da herança familiar.

A detenção do arguido aconteceu no dia 26 de Julho de 2016.

Na altura a Esquadra de Investigação Criminal da PSP de Beja seguia o rasto a obras de arte furtadas. Tendo conhecimento que Manuel Janeiro terá comprado alguns dessas peças, os agentes solicitaram-lhe autorização para fazer uma busca à sua habitação para tentar perceber da existência de mais objectos. Foi nessa altura que encontraram 18 gramas de haxixe. Confrontado com a situação, o arguido revelou “com grande naturalidade” e para “espanto” das autoridades, o local exacto onde guardava mais droga. A confirmação foi feita pela PSP numa segunda busca domiciliária.

Manuel Janeiro foi então presente a um Juiz de Instrução Criminal. Saiu em liberdade com termo de identidade e residência.

A sentença é lida a 23 de Fevereiro.