Prisão preventiva para presidente de IPSS em Beja

Foi decretada prisão preventiva ao homem de 51 anos, presidente de uma IPSS em Beja detido, ontem, por suspeita de agressões sexuais a uma mulher de 26 anos, portadora de deficiência mental.

O indivíduo foi detido, na quinta-feira, por inspetores da Diretoria do Sul da Polícia Judiciária (PJ).

A medida de coação foi decretada esta sexta-feira, após o interrogatório judicial realizado no Tribunal de Beja.

Recorde-se que a investigação surgiu, depois, de uma denúncia anónima que levou a PJ a ter tido conhecimento de “factos suscetíveis de configurar a prática de crime contra a liberdade sexual” exercidos contra uma mulher de 26 anos, utente da IPSS em causa.

De acordo com o comunicado da PJ, “o suspeito” aproveitou-se das “funções que exerce na numa casa de acolhimento residencial para adultos com deficiência.”

A PJ adianta, ainda, que “as agressões sexuais aconteceram em períodos distintos, reportando-se a primeira ocorrência ao Verão de 2020 e verificando-se sempre em ambiente totalmente controlado pelo ora detido, nomeadamente num estabelecimento comercial e sempre em ocasiões em que se encontravam sozinhos.”

Segundo, o documento divulgado pelo PJ “o conjunto de diligências realizadas permitiu a recolha de relevantes elementos probatórios.”