Professores do Sul não desistem do tempo de serviço

A Federação Nacional da Educação (FNE) e o Sindicato Democrático dos Professores do Sul (SDPF) continuam a exigir a reposição total dos 9 anos, 4 meses e 2 dias de tempo de serviço congelado.

A bandeira da campanha “942 – Só queremos o que é nosso” chega a Beja nesta terça-feira para ser assinada pelos docentes.

A FNE assegura que “não desiste de lutar pelo direito da recuperação integral do tempo de serviço congelado aos professores portugueses”.

A Federação e os sindicatos expressam “total disponibilidade para o retomar das negociações com o Governo”.

Carlos Calixto, vice-presidente do Sindicato Democrático dos Professores do Sul acusa o governo de estar de “má-fé” em todo este processo.