Professores manifestam-se em Lisboa

Cerca de uma dezena de sindicatos convocou para hoje, Dia Mundial do Professor, uma manifestação nacional em Lisboa.

A manifestação encerra um conjunto de greves descentralizadas em todas as regiões do país que durante esta semana encerrou muitos estabelecimentos de ensino no país.

Os docentes exigem a contabilização de todo o tempo de serviço em que a carreira esteve congelada para progressão: nove anos, quatro meses e dois dias.

Manuel Nobre, presidente do Sindicato de Professores da Zona Sul (SPZS), diz que o governo está “fora da lei” pois não cumpre o Orçamento de Estado de 2018 onde está contemplado o início da contagem do tempo de serviço dos professores.

Carlos Calixto, vice-presidente do Sindicato Democrático dos Professores do Sul, adianta que “o governo não está a respeitar o acordo que tem com os professores”.

Calos Calixto fala em “terrorismo de Estado” contra a classe docente.