Projecto europeu vai conservar charcos temporários no Sudoeste Alentejano

O projecto é coordenado pela Liga para a Protecção da Natureza (LPN) em parceria com a Universidade de Évora, a Universidade do Algarve, o Centro de Ciências do Mar, a Câmara Municipal de Odemira e a Associação de Beneficiários do Mira.

O projeto “LIFE Charcos” visa, segundo os promotores, ” a conservação de um habitat prioritário” e que se encontra “cada vez mais ameaçado devido à sua fragilidade ecológica e desconhecimento do seu valor natural”.

“As formas de gestão do território, nomeadamente a intensificação da agricultura industrializada, constituem um dos principais e mais recentes fatores de declínio deste habitat”, refere a mesma fonte.

Entre outros locais, o “LIFE Charcos” será implementado na Costa Sudoeste da Rede Natura 2000 que coincide parcialmente com o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

No concelho de Odemira estima-se uma redução de 52% dos charcos temporários nos últimos 10 anos. Esta iniciativa comunitária visa inverter este cenário.

O projecto, com duração de cerca de 5 anos, é financiado a 75% pelo Programa LIFE-Natureza da Comissão Europeia, tendo um orçamento global de cerca de 2 milhões de euros.