PS de Castro Verde acusa CDU de não querer baixar IRS

O PS de Castro Verde acusa a CDU de não querer baixar a taxa variável do IRS para 4,5% em 2018. Por essa razão, em nota de imprensa enviada às redacções, o Partido Socialista diz não haver forma de “aliviar o valor que as famílias vão pagar de impostos” no próximo ano.

No mesmo documento o PS lembra que esta medida foi apresentada a 23 de Novembro, na Assembleia Municipal, onde a CDU tem a maioria, e “chumbada” pelos comunistas.

“Face a esta posição e para que a Câmara não perdesse o direito a receber a totalidade das verbas consignadas na Lei (superior a 348.998 euros)”, os socialistas apresentaram uma nova proposta “sem qualquer redução do IRS” (aprovada pela Assembleia Municipal a 21 de Dezembro).

Na nota de imprensa, o PS considera esta posição da CDU “incompreensível”, e diz mesmo que “a atitude não ficou por aqui”. “Certamente assustados com a onda de críticas que a decisão teve junto da população, os seus eleitos aprovam a penalização das famílias castrenses, mas anunciam que fariam diferente “se” a proposta de redução do IRS fosse maior”, explicam os socialistas.

O PS de Castro Verde considera “inaceitável” “esta contradição e falta de coerência” e diz que “a CDU de Castro Verde mostra com evidência que não entendeu a resposta clara que as suas políticas mereceram no dia 1 de Outubro”.

Na nota de imprensa enviada às redacções os socialistas “lamentam essa atitude e estão certos de que os Castrenses percebem bem quem procura honrar a palavra dada e, por outro lado, quem insiste no erro e na contradição, mesmo que isso (como é o caso!) prejudique os cidadãos do concelho de Castro Verde”.

A CDU “alegou que esta redução dos impostos deve ser por conta do Estado e não por conta dos municípios”, disse em declarações à Rádio Pax, Filipe Mestre, presidente da Concelhia do PS de Castro Verde.

Filipe Mestre acusa ainda os comunistas de impedirem “o cumprimento de uma das promessas do programa” [eleitoral do PS].