PS diz que “ainda há muito a fazer” pela saúde no Baixo Alentejo

Durante a campanha para as legislativas, os candidatos do Partido Socialista pelo círculo de Beja têm estado a visitar e a reunir com várias instituições, numa política de proximidade.

Em nota de imprensa enviada às redacções, a Federação do Baixo Alentejo do Partido Socialista anuncia que reuniu com a Administração da ULSBA- Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, com o objetivo de realizar “um ponto de situação sobre as questões mais importantes”.

Os socialistas frisam que “apesar dos esforços realizados, são ainda vários os problemas na área da saúde”, sendo que “as questões de dificuldades mais prementes estão relacionadas com a falta de recursos humanos, particularmente no que diz respeito à falta de médicos”.

Apesar dos problemas sentidos no distrito, na área da saúde, o PS lembra que também “há aspectos muito positivos”, como sendo “a redução das listas de espera, o investimento em novos equipamentos de imagiologia, TAC, Raio-X, fixo e Raio-X, Ecógrafos e Mamógrafos, num investimento de cerca de 2 milhões de euros”.

No documento, a Federação destaca ainda “a aprovação já conseguida da candidatura para o equipamento de ressonância magnética, a construção de um novo centro de saúde em Vidigueira, a entrega da candidatura para o Centro de Saúde de Ourique, a conclusão das obras da extensão de saúde de Messejana, o início para breve das intervenções na extensão de Vila Nova de Milfontes e a requalificação do Centro de Saúde de Mértola, que terá início para breve”.

Os socialistas fazem ainda referência “ao compromisso conseguido para o investimento de 25 milhões de euros na requalificação do Hospital de Beja”.

Pedro do Carmo, cabeça-de-lista do PS por Beja às legislativas salienta que “ainda há muito a fazer (…), mas já existem aspectos” que demonstram o trabalho em pro das “pessoas e na melhoria da saúde no Baixo Alentejo”.