PS exige que a CDU se “retrate” e Silvestre Troncão se demita

A concelhia do PS de Beja emitiu um comunicado onde afirma que “nada justifica o absoluto descontrolo emocional de alguns eleitos do grupo da CDU”, no final da última sessão da Assembleia Municipal que terminou com alegadas agressões a um militante do PS por parte de um eleito da CDU.

O PS garante que os seus eleitos nos órgãos autárquicos do Concelho de Beja “não se deixam intimidar por comportamentos de ameaça verbal ou de violência física que atentam contra os seus legítimos representantes nesses mesmos órgãos ou contra militantes seus que estejam presentes em reuniões de carácter público”.

Os socialistas falam em “constante comportamento demasiado exaltado de alguns membros da CDU na Assembleia Municipal de Beja, encabeçados pelo deputado João Dias, um dos principais responsáveis pelo clima de animosidade criado, que potencia cenas como aquelas que tristemente acabaram por se verificar no final da última sessão”. O PS de Beja entende que o deputado João Dias “não reúne por isso condições para liderar o grupo da CDU na Assembleia Municipal de Beja”.

Para o PS, “a gravidade da situação exige que a CDU se retrate deste episódio, de que foi protagonista activa, e peça desculpa à população do Concelho de Beja por ter envergonhado a Assembleia Municipal e manchado a dignidade do órgão”.

Os socialistas consideram também que Silvestre Troncão, eleito da CDU, alegado autor das agressões, “não reúne a partir da presente data quaisquer condições para comparecer a reuniões da Assembleia Municipal de Beja” pelo que o eleito Presidente da Junta de Freguesia de Baleizão “deve retirar consequências do seu ato demitindo-se dos cargos que ocupa”.

Por último, “o PS reitera a sua total solidariedade e confiança na competência da actual Presidente da Assembleia Municipal para as funções que desempenha”.